Jujuba Jóias
moda
tendências
viagens
beleza
decor
cultura
culinária
23 jul 2021

Um dos hobbys mais praticados dos últimos anos, é a jardinagem. Segundo a ferramenta Google Trends, as buscas pelo termo “kit de jardinagem” cresceram 180% durante a pandemia, entre março e junho de 2020. Mas cuidar das plantas pode não ser uma tarefa tão simples para os iniciantes que, com a inexperiência, podem danificar as mudas. Pensando em ajudar aqueles que querem reanimar suas plantinhas, Adelson dos Santos Fernandes, jardineiro em São Paulo e cadastrado no GetNinjas, maior aplicativo para contratação de serviços do Brasil, compartilhou algumas orientações importantes para florir seus vasinhos, acompanhe:

Atenção às folhas:
Só de bater o olho, já dá para ver se uma planta está saudável ou não por conta das suas folhas. De acordo com Adelson, uma planta sadia é aquela que tem folhas verdes e brilhantes. Entretanto, quando as folhas apresentam aspectos desbotados, murchos, amarelados e quebradiços, é necessário acender um sinal de alerta. Segundo o profissional, inúmeros fatores podem desencadear esses sinais. “Pode ser a falta ou até mesmo o excesso de água, local inadequado, pouca ou muita luz. Tudo depende, primeiramente, do tipo de planta que estamos lidando”, comenta o jardineiro. Sendo assim, o recomendável é estudar o espécime em questão e testar pequenas mudanças na rotina.

Falta de nutrientes:
Caso mudanças como a quantidade de água, alteração de local/espaço não funcionem, é interessante investigar se a planta não está sofrendo com a escassez de nutrientes. “As plantas com deficiência de nutrientes (cálcio, ferro, fósforo, potássio e magnésio) apresentam um crescimento lento e folhas amareladas. Além disso, a falta de tais substâncias também inibe a floração e abortamento de frutos”, explica Adelson. Para solucionar algumas dessas carências, pode ser interessante investir em fertilizantes orgânicos, em adubos minerais ou até mesmo em itens caseiros como casca de ovo triturada ou borra de café.

Pragas:
De acordo com Adelson, as pragas mais comuns são as formigas cortadeiras (também conhecidas como saúvas), lesmas/caramujos, lagartas, pulgões e cochonilhas. A identificação das pragas pode ser feita durante a análise das folhas, já que tais pestes costumam deixar um rastro de destruição das plantinhas. O profissional explica que as folhas cortadas são indícios de formigas, caramujos e lagartas. Já quando as folhas apresentam manchas, o vilão da vez é o pulgão. Por fim, a característica que revela a presença de cochonilhas é o aspecto esbranquiçado das folhas. Para lidar com tais pragas, é interessante investir no uso de inseticidas industrializados ou caseiros.

Sobre o GetNinjas
Disponível nas plataformas digitais – Android, iOS e web -, o GetNinjas é um aplicativo para contratação de serviços.

Fonte: Shayenne Pires ([email protected])

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

21 jul 2021

Com a chegada dos dias frios, a procura por formas diferentes de se aquecer aumenta, principalmente quando o assunto é o nosso paladar. Pensando nisso, o sommelier de chás, Benício Coura, cofundador da Chá Dō, curadoria especializada em chás e acessórios desta bebida milenar, separou algumas dicas para te ajudar a preparar o chá em casa.

Segundo o especialista, a primeira coisa que o consumidor precisa saber é que nem tudo o que chamamos de chá é realmente chá.

Benício explica que “O chá é, etimologicamente, a infusão das folhas e dos brotos da planta Camellia sinensis”. A preparação do chá, ou seja, da Camellia sinensis, pode ser a partir de uma infusão – processo de imersão da folha do chá na água quente, ou maceração – imersão da folha do chá na água em temperatura ambiente. No Brasil, os chás derivados desta planta são conhecidos como ‘chás especiais’, e possuem grandes benefícios para a saúde e bem-estar de quem consome”. O especialista pontua que a planta tem origem milenar, possui 6 variações (famílias) e que outras infusões com ervas, frutas e especiarias são categorizadas como tisanas.

“Muitas embalagens em sachês, compradas normalmente no supermercado, não são chás da Camellia sinensis e muitas vezes não são puros. Boa parte são, na verdade, tisanas, que também amamos, como as de frutas vermelhas, camomila, ou hortelã, ou têm misturas na sua composição e, por isso, são chamados de ‘blends’, que oferecem outras variedades de sabores e aromas. É importante o consumidor saber diferenciar e escolher, com clareza, a bebida que deseja tomar. Além disso, os chás em sachê, em geral, perdem em nutrientes, aromas e sabores quando comparados aos chás de folhas soltas, a granel, devido à excessiva fragmentação dos pedaços inclusos no sachê”, conta.

O sommelier trouxe informações essenciais para apreciar a bebida e realizar a melhor escolha para acompanhar estes dias frios que chegam no país. Desde o preparo até a melhor forma de servir a bebida no dia a dia. Confira as principais dicas que o especialista trouxe:

1 – Entenda o chá como um ritual – Para ter uma boa infusão, é necessário entender os processos de preparação da bebida. Sendo assim, o especialista explica que “é importante ter em mente que preparar o chá contempla seis elementos vitais, como a temperatura da água, quantidade e qualidade do chá e da água para o preparo, tempo da infusão, espaço para as folhas do chá se hidratarem e os acessórios para preparar e tomar o chá, como bules, garrafas, infusores, xícaras e copos”.

2 – Confira as características de cada folha – Coura traz que uma dica importante para preparar o chá é entender as suas particularidades. Por exemplo, “chás verdes”, no geral, exigem temperaturas mais baixas para o seu preparo, variando entre 60ºC e 75ºC. Já os chás pretos precisam de temperaturas mais altas para alcançar o ponto ideal na infusão, normalmente a temperatura na casa dos 80ºC a 95°C. E assim, entendendo as características, é possível determinar o tempo de infusão, que também varia de acordo com o paladar de cada pessoa.” conta o especialista.

3 – Explore as possibilidades – A chegada do frio também é um convite para explorar as possibilidades com a bebida. A Chá Dō traz uma seleção exclusiva de receitas para encarar os dias gelados. “Aqui no Brasil nós entendemos que o chá é apenas uma bebida a ser tomada quente, mas existem outras formas de consumo, como através de sobremesas, bebida gelada e outras preparações que podem ter o chá como matéria-prima”, reforça o sommelier.

 

Sobre a Chá Dō

Criada em 2020, a Chá Dō é uma curadoria especializada em chá, acessórios e treinamentos.

Fonte: Fernanda Simplicio ([email protected])

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

19 jul 2021

Seja por conta do trabalho/estudo ou pela diminuição de renda, muitos brasileiros mudaram de endereço nos últimos anos. Segundo um estudo do QuintoAndar em parceria com a Offerwise, um em cada seis entrevistados mudaram de endereço. Além de todos os preparativos que envolvem a mudança, os tutores de pets têm tido uma preocupação maior com a adaptação dos bichinhos de estimação na casa nova. Pensando em ajudar os pais e mães de pets com essa transição, José Jorge Sales, adestrador cadastrado no GetNinjas, maior aplicativo de contratação de serviços do Brasil, dá dicas de como fazer com que o momento seja menos estressante para todos.

Realize uma visita prévia!
Quando o novo imóvel for escolhido, é interessante que os tutores levem o pet para conhecer o local. Segundo José, essa visita é importante, pois dessa forma o animal se aventura pelo espaço, conhece os novos cheiros e também demarca território, sem a correria da mudança. Durante as idas, é recomendável que os tutores mostrem o local correto das necessidades fisiológicas, brinquem com o cachorro e deem os petiscos favoritos. “Os tutores devem possibilitar que os cães façam uma associação positiva com a casa e que entendam que um espaço novo não é necessariamente algo ruim”, explica o adestrador.

Atenção ao tempo de adaptação!
Apesar de serem territorialistas, o tempo de adaptação dos cachorros não costuma se alongar muito. “Os cães costumam ter um tempo de adaptação rápido em comparação com os gatos. Os felinos demoram um pouco mais e levam, em média, um mês para se estabelecerem em um espaço novo”, comenta o profissional. Entretanto, durante essa transição, os pets podem desenvolver comportamentos incomuns por conta da ansiedade e estresse, tais como tentar fugir, latir com mais frequência, fazer as necessidades no lugar errado e até destruir coisas. Para lidar com essas situações, os pais do cachorro devem ter paciência e se empenharem na construção de uma rotina acolhedora para o animalzinho.

Mantenha a Rotina!
“Os animais de estimação se adequam muito bem com rotinas, e quando você se muda e há uma alteração no dia a dia, consequentemente, os animais se sentem frustrados e estressados por estarem em um ambiente desconhecido”, comenta o profissional. Sendo assim, apesar da mudança de casa ser uma grande alteração no cotidiano dos cães, é interessante que os tutores busquem minimizar a quebra do cotidiano. Na prática, os pais de cachorros devem, na medida do possível, manter os horários dos passeios e os horários de alimentação do animal.

Sem estresse!
Além de evitar que mudanças profundas na rotina do animal aconteçam, os tutores também devem se atentar ao próprio comportamento. A mudança de casa pode ser desgastante e estressante, mas esse nervosismo também pode afetar o comportamento dos pets, tanto durante, quanto depois da mudança.

Sobre o GetNinjas
Disponível nas plataformas digitais – Android, iOS e web -, o GetNinjas é um aplicativo para contratação de serviços.

Fonte: Shayenne Pires ([email protected])

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

16 jul 2021

O fim-de-semana chegou e nada como um bom jantar com a família para aproveitar esse momento. Mesmo sem sair de casa, comer em boa companhia pode ser mágico. Pensando nisso, o St Marche, rede referência de produtos de alta qualidade, preparou uma receita de maminha suculenta para saborear com as pessoas que você ama!

 

• Ingredientes:

• 1kg de maminha

• 1 copo de Whisky

• 3 ramos de alecrim fresco

• 1 cebola fatiada

• 3 colheres de sopa de mel

• Pitada de pimenta do reino

• Sal

• Manteiga

Modo de Preparo: coloque a maminha numa travessa, temperada com manteiga, sal e pimenta. Derrame sobre a carne o whisky e o mel e leve ao forno até que ela fique dourada.

SOBRE ST MARCHE:

O St Marche é uma rede de supermercados de bairro com 21 lojas da Capital e Grande São Paulo.
Fonte: Maiara ([email protected])
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

Sobre a Mariah

Oiii bloguetes, sejam bem vindas (os) !!

Este é o nosso espaço, onde divido com vocês as minhas idéias, viagens, novidades sobre beleza e claro, vídeos pra lá de engraçados com dicas de cabelo, maquiagem, receitas… Tudo o que nós gostamos de saber!

O blog existe desde Outubro de 2007 e, quando comecei nessa vida de blogueira, não imaginava no que ele poderia se transformar um dia! Graças à vocês, que estão comigo todos os dias, o blog tem muitos acessos e ficou conhecido no Brasil e exterior.

Não posso deixar de mencionar um fato que sempre me faz muito feliz (muito mais do que acessos, comentários, anúncios),que é conhecer cada uma de vocês!!! Nada melhor do que fazer novas amizades, e até quem sabe, novos negócios!

Essa é a nossa casa! E vamos continuar com o nosso papinho de amigas (os)?

Beijos com carinho,
Mariah

Fale com a Mariah

Olá, bem vindos!!

Endereço para contato do Blog da Mariah:
Rua General Glicério, 870 / Centro / Araçatuba-SP / CEP: 16010-080

ou no email: [email protected]

Obrigada!!

Receba nossa newsletter

e acompanhe a Mariah nas redes sociais!

Anuncie

Tem interesse em anunciar no Blog da Mariah?
Por favor, não hesite em entrar em contato conosco no email

[email protected]

Obrigada!