Jujuba Jóias
moda
tendências
viagens
beleza
decor
cultura
culinária
27 Maio 2020

Os efeitos da pandemia têm afetado os seres humanos de diversas formas, não é mesmo? Bom, com os pets não é diferente, pois a quarentena pode causar nos animais sensações muito semelhantes às que sentimos nesse momento difícil. Enquanto sofremos com o isolamento social e as notícias tristes sobre o avanço do Coronavírus, os nossos melhores amigos não entendem essa mudança drástica na rotina e podem desenvolver quadros de ansiedade e depressão.  

“Falta de apetite, prostração, isolamento, perda de peso, recusa em brincar com tutores ou outros pets e agressividade repentina são apenas alguns dos sintomas de que algo não está bem. Em casos mais graves, alguns pets podem se lamber excessivamente, apresentar coceiras sem motivos e realizar automutilação em extremidades do corpo, especialmente a cauda e as patas”, explica Dra. Luana Sartori, especialidade da Nutrire.

Isolamento, impactos e mudanças

O isolamento dos tutores, extremamente necessário para combater o Covid-19, impacta também nos animais. Aquele cachorro que fazia as suas necessidades na rua, por exemplo, precisa se adaptar para fazer no jornal, dentro de casa. Além disso, o tutor que tinha horário para sair e voltar, agora passa todo tempo por perto e por aí vai. O que fazer para que a rotina desses pets sofra menos impactos com essas mudanças? 

Luana indica que a energia desses animais seja gasta de outra forma. “Os pets que vivem em apartamento sofrem mais com o isolamento. O tutor pode montar circuitos com petiscos dentro de casa para que o cão corra, caminhe e se exercite. Se o passeio para as necessidades durava 30 minutos, monte o exercício nesse tempo também. Use e abuse da criatividade.”, indica.

Se o tutor costuma sair com o pet mesmo na pandemia, a dica é lavar bem as patas antes de entrar em casa. “Jamais utilize álcool em gel para a higienização de qualquer animal. Água e sabão são eficientes e não colocam o seu melhor amigo em risco”, alerta. Ou seja, brincar e exercitar o pet é algo que deve ser feito diariamente. “Quanto mais energia ele gastar, menos estressado ficará”, fala Luana.

Carinho e colo integral são necessários?

“A presença constante do tutor dentro de casa também pode causar estranheza ao pet, que estava acostumado a esperar o dono chegar do trabalho. Se algumas ações não forem tomadas, o retorno às atividades normais pós-pandemia pode ficar ainda mais difícil, conforme explica a veterinária. 

“Alimentação regrada, treinos de comandos, vídeos para pets e música clássica podem ajudar a controlar a situação. “Tente tornar essa rotina o mais parecida com a normalidade, ou seja, os horários para alimentação e brincadeiras devem ser os mesmos. Na hora dos passeios, uma boa dica é apostar em brinquedos interativos, que você pode fazer em casa mesmo. Muitos tutoriais na internet ajudam a criar objetos para diversão dos bichinhos”, sugere.

Vale ressaltar que colo e atenção em tempo integral podem causar problemas a longo prazo. “Precisamos ter em mente que a quarentena vai acabar um dia e tudo voltará ao normal. As pessoas vão sair para trabalhar, passear, viajar e precisam entender que cães e gatos podem sofrer com a síndrome da separação”, revela. 

Essa síndrome faz com que o pet sinta muito a falta do dono, pensando que está sendo abandonado e que o seu melhor amigo não vai voltar. “Cães e gatos têm que entender que o mundo não acabará se ficarem sozinhos nessa quarentena. Dê esse espaço para o animal, deixe ele de lado por algum tempo do dia. Isso vai evitar que o sofrimento seja maior a longo prazo”, conta.

Para Luana, o segredo é administrar bem o tempo em todas as atividades com o bichinho. “Existe a hora de brincar, de se alimentar, de praticar exercícios físicos, de relaxar e de ganhar agrados. Cada momento deve ser vivido com dedicação e entrega. Além disso, estabelecer limites e dar um espaço para o animal ficar sozinho é fundamental nesse processo”, acrescenta a especialista.

Música e massagem para crises de ansiedade

Talvez você não saiba, mas a massagem também tem efeito relaxante para animais. Cães e gatos gostam do contato físico, pois liberam ocitocina, conhecida como hormônio do amor. “Sendo assim, a massagem, além de relaxamento e calma, aumenta o vínculo que há entre pet e tutor”, explica.

Música clássica é uma boa pedida e a veterinária indica que a prática seja diária. Depois de alguns dias ouvindo canções relaxantes ao menos uma hora por dia, o pet consegue relaxar a musculatura. “Unir massagem e música clássica é uma ótima opção”, acrescenta. 

Além de massagem e música, ligue a televisão para seu pet. Muitos canais no Youtube oferecem vídeos feitos especialmente para animais. “Gatos adoram vídeos de passarinho e na internet há uma porção deles. Procure por “video for cats” e deixe seu felino se divertir com as imagens”, sugere Luana. 

E quando tudo voltar ao normal?

Quando a quarentena acabar, para minimizar os efeitos da sua ausência, o ideal é criar um espaço confortável para o pet, apostando no enriquecimento ambiental adequado. “Deixe roupas suas no ambiente, pois seu cheiro ajuda a tranquilizar o animal. Brinquedos que liberam petiscos promovem mais interação do pet e, claro, menos ociosidade”, revela. 

Caso você passe mais de oito horas fora de casa, uma creche pode ser interessante nos primeiros dias. Lembre-se que amor nunca é demais e a ida frequente ao veterinário é fundamental para garantir uma vida saudável e feliz ao seu melhor amigo.

Auxilio texto: Dra. Luana Sartori, especialidade da Nutrire / Ju Farias ([email protected] )

Imagem: Nutrire

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

25 Maio 2020

Nessa quarentena temos que nos reinventar para entreter as crianças dentro de casa. A Nini adora varias brincadeiras e uma que temos feito é a cabana, ela ama! Li essa matéria da Paula Zukerman e achei super bacana dividir com vocês, onde ela dá outras dicas para brincar com nossos filhos dentro de casa:

Estamos em um momento que toda criatividade do mundo não basta para colocar a criançada em movimento. Por isso, a Paula Zukerman, mãe e influenciadora, listou algumas brincadeiras que podem tornar o dia mais leve e divertido.

1 – Boliche reciclável

Para montar uma pista de boliche na sala de casa, é muito fácil! Você vai precisar de garrafas descartáveis, rolos de papelão ou copos descartáveis, materiais que sejam leves e fáceis de derrubar. Coloque os em formato triangular, é legal ter 10 unidades empilhadas. A bola pode ser de meia, um sapato, ou até mesmo um bichinho de pelúcia. E está feito! Encontre um lugar que tenha uma distância bacana para servir de pista e é só se divertir!

2 – Pista de carrinho de fita adesiva 

Para construir a sua própria pista de carrinho, é preciso ter em mãos uma fita crepe apenas. No chão do quarto, você pode colar a fita criando várias direções e usar objetos que já tem em casa para formar obstáculos a serem enfrentados nesse caminho.

3 – Cabana

Brincar de cabana nos sofás da sala é uma brincadeira que não sai de moda. Junte os sofás e no meio dele prenda um ou dois cabos de vassoura que serão a sustentação da cobertura. Cubra os sofás com lençóis, apoiando-os no cabo e está armada a sua cabana! Use almofadas e cobertores para deixar essa aventura mais confortável.

4 – Descubra de quem é a sombra

Você vai precisar de uma lanterna e objetos variados. Apague todas as luzes e aponte a lanterna acesa para a parede. Com seu filho um pouco mais a frente para que ela não veja o que está segurando, direcione o objeto para a luz projetando a sombra dele na parede. Agora é só deixar a imaginação do pequeno fluir tentando adivinhar o que você está segurando.

5 – Cabo de guerra

Monte uma barreira com travesseiros e almofadas e separe o espaço em dois campos, separando também um time para cada lado com o número igual de competidores. Estique uma corda e comecem a puxar, cada um para o seu lado. Quem ultrapassar a barreira primeiro, perde.

Auxilio texto: Paula Zukerman (empreendedora e influenciadora digital conhecida pela criatividade e pelo movimento “faça você mesmo”)

Imagem: https://br.pinterest.com/pin/421649583845247105/

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

22 Maio 2020
Quem me acompanha sabe que eu tenho olheiras…sempre falo isso. Tenho um corretivo sempre à mão, rs. Recebi essa sugestão de pauta e na hora pensei em dividir com vocês, pois sei que é algo que incomoda em quem tem. Confiram:

Olheiras podem surgir em mulheres e homens. Mas, como identificá-las e tratá-las? Os tratamentos diferem entre homens e mulheres? A dermatologista especialista em cosmiatria e parceria Ricca, Luciana Garbelini, responde essas e outras dúvidas sobre os diferentes tipos de olheiras. 

O QUE SÃO OLHEIRAS?

“Basicamente, as olheiras são manchas escuras localizadas nas pálpebras que aparecem em decorrência de vasinhos que se tornam visíveis abaixo da camada fina de pele. Para se ter uma ideia, a pele do restante do corpo pode vir a ter cerca de 2 milímetros de espessura, enquanto a pele da região dos olhos tem em média 0,5 milímetro. Por isso, essa área está mais favorável ao aparecimento de colorações escuras”, explica Garbelini.

QUAIS SÃO OS TIPOS DE OLHEIRAS?

• Olheiras profundas – são recorrentes em pessoas com o globo ocular naturalmente mais profundo, por questões genéticas, ou por perderem o preenchimento natural devido ao envelhecimento ou perda intensa de peso.

• Olheiras vasculares – podem apresentar tons azulados, arroxeados ou avermelhadas e aparecem devido à má circulação do sangue depois de noites mal dormidas.

• Olheiras pigmentares – geralmente são identificadas pelos tons amarronzados e são mais frequentes em pessoas com excesso de melanina ao redor dos olhos.

• Olheiras mistas – este é o tipo mais comum entre as possíveis olheiras, que significa olheiras que possuem mais de uma causa e que, muitas vezes, estão associadas ao seu desenvolvimento, como genética, bolsas de gordura ou flacidez, acúmulos de vasos, entre outros.

COMO TRATÁ-LAS?

• Máscaras hidratantes – “Máscaras para tratar a região dos olhos são ótimas apostas para amenizar o aspecto escuro das olheiras. Opte para as que oferecem ativos como extrato de aloe vera, pepino e ácido hialurônico”, sugere a especialista, que esclarece porque priorizar tais ingredientes, “quando combinados, esses componentes se tornam grandes aliados no combate às olheiras por hidratarem a região e aumentarem a oxigenação, evitando a hiperpigmentação e que a área fique mais escura.”

• Compressas de água – Para suavizar as olheiras, Garbelini indica compressas de água fria. “A baixa temperatura das compressas provoca a vasoconsticção, que nada mais é do que a diminuição dos vasinhos pela redução de circulação do sangue na área sensível”, explica a parceira Ricca. Porém, Garbelini faz um alerta, “é importante não deixar a compressa muito gelada, já que, por ter a pele mais fina, a região pode queimar com mais facilidade.”

• Dermocosméticos clareadores – “Algumas versões de dermocosméticos orgânicos possuem extrato de Erva Tostão e são as mais indicadas por conta da ação uniformizante e clareadora que agem em hiperpigmentações, atenuando o aspecto escurecido das pálpebras, além de promover a uniformização do tom da pele”, explica a dermatologista.

• Massagens na região – “Massagear a região das pálpebras funciona como uma drenagem linfática e pode ajudar diminuir o edema da área”, pondera a dermatologista que dá o passo a passo. “Aplique um creme próprio para a região dos olhos e com o dedo anelar deslize com suavidade, do canto interno da pálpebra superior para o canto externo, fazendo uma leve pressão. Depois, repita o processo na parte inferior dos olhos. Para finalizar, dê leves batidinhas na região com a ponta dos dedos indicador e médio.”
Auxilio texto: dermatologista especialista em cosmiatria e parceria Ricca, Luciana Garbelini.
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

20 Maio 2020

Eu não sei vocês, mas eu ando sonhando com os próximos destinos para viajar! Rezo muito para passarmos por esse momento logo! Fico feliz que a Europa já está se reabrindo, com cautela, é claro.

Recebi a sugestão de pauta abaixo e quero dividir com vocês!

Obras de fotografia e relatos para sonhar com os próximos destinos

As páginas dos livros são uma das melhores maneiras de “viajar” em tempos
de isolamento social. De relatos de viagens a livros de fotografia, diversas
obras são fontes de inspiração e conhecimento para planejar roteiros quando
as fronteiras estiverem abertas novamente.

A Place in the Sun – Slim Aarons
Slim Aarons atuou principalmente como fotógrafo de socialites, celebridades e
do  jet-setter americano, após servir como fotógrafo durante a Segunda Guerra
Mundial. No livro A Place in the Sun, uma coleção de 250 fotos coloridas e
deslumbrantes mostra celebridades da Era de Ouro em destinos ensolarados –
do Caribe a Mônaco, de Aspen a Gstaad.

Four Seasons: A Art of Hospitality  
As histórias do serviço excepcional e do savoir faire do Four Seasons Hotels
and Resorts são contadas no “Four Seasons: A Arte da Hospitalidade”, livro da
coleção Classics de 2018 da editora Assouline. Recheado de pinturas digitais
lúdicas e evocativas do artista Ignasi Monreal, o livro retrata a essência da
marca – uma empresa impulsionada por seus colaboradores, que entregam um
serviço autêntico e de primeira linha em hotéis, resorts e residências ao redor
do mundo.

Trem Fantasma Para a Estrela do Oriente  – Paul Theroux
O americano Paul Theroux é autor de alguns dos melhores relatos da literatura
de viagem. Em 1975 ele escreveu O Grande Bazar Ferroviário – De Trem pela
Ásia, relatando sua jornada a partir de Londres, percorrendo a Europa, Oriente
Médio, subcontinente indiano e Sudeste Asiático, e seu retorno via Ferrovia
Transiberiana. Três décadas depois, Theroux refaz o roteiro para testemunhar
e relatar as transformações tanto históricas como nas paisagens, registradas
no Trem Fantasma Para a Estrela do Oriente.

Viajando com Charley –  John Steinbeck
Ganhador do Prêmio Pulitzer (1940) e do Prêmio Nobel de Literatura (1962),
John Steinbeck percorreu os Estados Unidos a bordo de uma picape, em uma
jornada de redescobrimento de sua terra natal. De Nova York à Califórnia, ao
longo dos 16 mil quilômetros, o escritor registrou suas impressões e encontros
com os moradores de diversas cidades, e também descreveu com detalhes
alguns dos mais belos cenários do país.

Pauta: @fourseasonsbr

Imagem: https://royalpalm.com.br/blog/viva-royal/livros-imperdiveis-para-quem-gosta-de-viajar/

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

POSTS RELACIONADOS

Sobre a Mariah

Oiii bloguetes, sejam bem vindas (os) !!

Este é o nosso espaço, onde divido com vocês as minhas idéias, viagens, novidades sobre beleza e claro, vídeos pra lá de engraçados com dicas de cabelo, maquiagem, receitas… Tudo o que nós gostamos de saber!

O blog existe desde Outubro de 2007 e, quando comecei nessa vida de blogueira, não imaginava no que ele poderia se transformar um dia! Graças à vocês, que estão comigo todos os dias, o blog tem muitos acessos e ficou conhecido no Brasil e exterior.

Não posso deixar de mencionar um fato que sempre me faz muito feliz (muito mais do que acessos, comentários, anúncios),que é conhecer cada uma de vocês!!! Nada melhor do que fazer novas amizades, e até quem sabe, novos negócios!

Essa é a nossa casa! E vamos continuar com o nosso papinho de amigas (os)?

Beijos com carinho,
Mariah

Fale com a Mariah

Olá, bem vindos!!

Endereço para contato do Blog da Mariah:
Rua General Glicério, 870 / Centro / Araçatuba-SP / CEP: 16010-080

ou no email: [email protected]

Obrigada!!

Receba nossa newsletter

e acompanhe a Mariah nas redes sociais!

Anuncie

Tem interesse em anunciar no Blog da Mariah?
Por favor, não hesite em entrar em contato conosco no email

[email protected]

Obrigada!